WS-BPEL e os cabeçalhos HTTP de resposta


Nos últimos dias realizamos alguns testes com o GlassFish ESB expondo processos BPEL através de WebServices SOAP de diferentes maneiras. Tais testes foram feitos com dois diferentes padrões de troca de mensagens (MEP – Message Exchange Patterns): Request Only (Também conhecido como InOnly) e Resquest-Response.

Para quem não sabe, o GlassFish ESB possui um componente JBI chamado BPEL Service Engine que é implementação do padrão WS-BPEL. Relembre o que é o padrão JBI.

O motivo de ter feito esses testes é porque no caso dos serviços assíncronos eu estava pensando que, para o cliente saber se a requisição foi aceita pelo provedor do serviço bastaria verificar se cabeçalho HTTP de resposta era o 200 OK. Acontece que não é bem assim que a coisa funciona. Segue abaixo as constatações…

Serviços Resquest Only (São os serviços que estou considerando como sendo Assíncronos)

  • O GlassFish ESB, mais especificamente o BPEL SEsempre (eu disse SEMPRE) retorna o status HTTP/1.1 202 Accepted
    • Esse código indica que “…a requisição do cliente não pode ou não será tratada em tempo real, sendo processada mais tarde. A requisição parece válida, mas pode causar problemas quando for processada. Essa é uma resposta adequada quando uma requisição ativar uma ação assíncrona.“. Fonte:http://goo.gl/QEYZ
    • Nesse caso, o provedor do serviço não envia nenhum conteúdo no corpo da mensagem de resposta, ou seja, existe uma resposta mas ela é vazia no sentido que só existe o cabeçalho HTTP de resposta. Isso acontece dessa forma mesmo se o dentro da implementação do serviço (no nosso caso dentro de um BPEL) for gerada uma exception!!! Nesse caso temos que ter muita atenção ao tratamento de erros dentro do BPEL para não deixar a requisição “se perder”. Por exemplo, eu forcei a geração de uma exception dentro do processo e, mesmo usando um Throw ou fazendo uma conta de 1/0, o serviço respondeu HTTP/1.1 202 Accepted. Sendo assim o Framework de tratamento de erro que estamos construindo e o seu correto uso tornam-se fundamentais.

Serviços Request-Response

  • O GlassFish ESB… 
    • Retorna o status HTTP/1.1 200 OK quando…
      • A requisição foi processada sem problemas. Esse código indica que bem, esse tudo mundo sabe, né?!? A diferença para o código 202 Accepted é que nesse caso o serviço enviou um conteúdo no corpo da mensagem. O consumidor do serviço poderá decidir, por exemplo, se precisa realizar alguma outra ação.
    • Retorna o status HTTP/1.1 500 Internal Server Error quando…
      • Dentro do BPEL capturarmos alguma exception, fizermos o devido tratamento e respondermos para o cliente uma mensagem do tipo Fault no corpo da mensagem. Sendo assim, o provedor do serviço também envia algum conteúdo no corpo da mensagem.

O interessante disso tudo foi constatar a fidelidade do GlassFish ESB em relação aos cabeçalhos HTTP de resposta.

Acredito que essas informações possam nos ajudar a desenvolver serviços no GlassFish ESB de forma mais segura (no sentido de saber mais sobre o comportamento da ferramenta) e também implementar consumidores de serviços ainda mais refinados.

Abraços a todos e até o próximo post!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s